Faça Um Gosto Nas Nossas Páginas. Obrigado :)

Powered By | Blog Gadgets Via Blogger Widgets

Cuidar de Pais Idosos: As 15 Melhores Formas de Manter a Sanidade Mental


Uma das fases mais complexas, tristes e emocionalmente desgastantes da vida é a altura em que os filhos passam a ter de cuidar dos seus pais.

O nosso artigo - Ninguém Prepara Os Filhos Para o Envelhecimento dos Pais - mostra bem isso, e milhares de pessoas identificaram-se com a nossa mensagem, e partilharam elas próprias as suas experiências, o seu desespero e tristeza. Assim decidimos deixar aqui aquelas que achamos serem as melhores formas de lidar com essa difícil fase da vida.
  1. Aceite Que As Coisas Mudaram - Este é o ponto essencial. As coisas mudaram e o caminho faz-se em frente. Quando um pai começa a depender dos filhos, tudo muda radicalmente, e nada do que conhecia ou fazia antigamente se aplica. Os papéis inverteram-se, as metodologias antigas podem não se aplicar. Prepare-se para começar do zero e acima de tudo aceite que assim é, por muito difícil que seja.
  2. Leve As Coisas Com Calma - Cuidar dos pais numa fase mais dependente é algo que exige calma e discernimento. Não apresse as coisas, porque se não é fácil para si, também não é fácil para eles. Deixe que o processo de cuidar se revele por si próprio. Por muito que controle e lidere o que se passa, siga esse processo e adapte-se naturalmente.
  3. Não Tenha Expectativas Emocionais - Esta é uma fase emocional imprevisível. Se existem pessoas que no final de vida podem abrir-se emocional e espiritualmente, expressando o amor e carinho que sentem por si, também pode acontecer o contrário, e tornarem-se distantes e frios. Isto pode ser mais evidente ainda em casos de demência. Por isso, não tenha quaisquer expectativas emocionais. Se criar uma ligação emocional e carinhosa maior nesta fase da vida óptimo, mas não crie essas expectativas. Lembre-se, tudo muda. Mais vale não esperar nada e ser surpreendido do que ter esperanças e ser arrasado.
  4. Espere a Raiva Deles - Nesta fase os seus pais perdem aquilo que sempre tiveram: autoridade. Essa perda não será fácil para eles, porque para além de ser algo novo, é também um reflexo das suas debilidades. Em casos de demência a agressividade pode ser um comportamento consequente, por isso, espere alguns acessos de raiva.
  5. Dê-lhes Autonomia - A máxima que puder. Por um lado ninguém gosta de se sentir inútil e dependente. Por outro, a preocupação pelos pais por vezes pode tornar-se excessiva e inibir as pessoas. Dê-lhes o máximo de autonomia possível. Dê sugestões e não ordens, porque é importante eles sentirem que continuam a comandar a vida deles e tomarem as suas próprias decisões. Permita que decidam tudo dentro do possível no que diz respeito aos seus cuidados.
  6. Peça-lhes Conselhos - Uma das melhores formas de fazê-los sentir que ainda são importantes para si, de lhes mostrar amor e carinho é continuar a pedir-lhes conselhos no que diz respeito a coisas que se passem na sua vida.
  7. Separe a Disfunção Emocional da Disfunção Cognitiva - As disfunções emocionais provavelmente perceberá facilmente, através das suas conversas e interacções. Mas as disfunções cognitivas poderão ser novas para si. Aprenda a reconhecê-las, e reaja cuidadosamente. Discuta estas disfunções cognitivas com os cuidadores profissionais, e lembre-se, esta é uma das fases onde é importante levar as coisas com calma.
  8. Ame Os Prestadores de Cuidados - Não há melhores amigos nesta fase da vida do que aqueles que estão a ajudá-la(o) a cuidar dos seus pais. Seja uma assistente social, uma fisioterapeuta, enfermeira, médico, ou até um vizinho que dê apoio, trate-os todos bem e reconheça a sua importância. É essencial que todos mantenham um ambiente positivo à volta dos seus pais.
  9. Conte Com o Seu Marido/Mulher - Se for solteiro, pode sobrar tudo para si, caso contrário, aproveite a pessoa que ama para dar uma melhor apoio e suporte a esta fase da vida. Por exemplo, por vezes os seus pais podem abrir-se mais emocionalmente com um marido ou esposa, do que com os próprios filhos. Acima de tudo porque nunca foram uma força de domínio e autoridade sobre eles, e por isso pode não lhes fazer tanta confusão a perda de autoridade que sentem consigo.
  10. Proteja Os Seus Pontos Fracos Emocionais - Ninguém melhor que os seus pais conhecem os seus pontos fracos emocionais e sabem como podem afectá-la(o). Se permitir que eles estabeleçam dominância sobre si como uma reacção à perda de autoridade, poderão tirar partido desses pontos fracos para se "vingarem". Não permita que isso aconteça. Acima de tudo deve-lhes os seus cuidados e carinho, mas não lhes deve o seu bem-estar emocional.
  11. Prepare-se Para a Insanidade de Irmãos - É uma fase complicada para toda a família, quando a perspectiva da morte dos pais se aproxima. Muitas vezes as pessoas revelam uma faceta desconhecida, quase sempre por motivos de divisão de posses, dinheiro e testamento. Prepare-se e espere loucuras, mas não participe nelas. Proteja-se o melhor possível mas lembre-se que não há dinheiro ou bem material que valha a sua dignidade.
  12. Cuide de Si Própria(o) - Há uma máxima que é, se não estiver bem consigo própria(o) não conseguirá estar bem para ninguém. Numa fase destas é fácil deixar-se envolver demasiado pelas preocupações e pelos cuidados, mas isso não fará bem a ninguém. Faça de ter um tempo para si e para cuidar de si uma parte importante na sua rotina, para melhor cuidar dos seus pais.
  13. Fale Com Amigos - Desabafar com amigos, alguém que não esteja directamente envolvido nos cuidados mas oiça, aconselhe e apoie é muito importante. Para além disso, pode também ajudá-la(o) a distrair-se desses momentos mais difíceis.
  14. Divirta-se - No seguimento da amizade, aproveite para se divertir. É importante voltar ao ponto 1 - aceitar que as coisas mudar - e permitir-se a si própria(a) tempo para se divertir, descontrair, despreocupar. Lembre-se que a sua sanidade mental é vital para cuidar bem dos seus pais e que há coisas que não consegue controlar e que o excesso de preocupação não resolve.
  15. Reze ou Medite - A vida não dá fases emocionalmente mais complexas e desgastantes do que a fase de cuidar dos pais. O que está a passar é maior do que você, do que os seus pais ou do que qualquer outra pessoa envolvida. Certifique-se de que consegue manter a sua estabilidade mental, espiritual e emocional, seja através da fé e religião, ou através da meditação.
Cuidar de Pais Idosos: As 15 Melhores Formas de Manter a Sanidade Mental Cuidar de Pais Idosos: As 15 Melhores Formas de Manter a Sanidade Mental Reviewed by Unknown on 06:55:00 Rating: 5

36 comentários:

  1. Os artigos como esse facilitam a nossa vida, fazend o nos compreender momentos delicados que enfrentamos em nossa vida é que se tornam mais fáceis quando esclarecido de maneira correto.

    ResponderEliminar
  2. Os artigos como esse facilitam a nossa vida, fazend o nos compreender momentos delicados que enfrentamos em nossa vida é que se tornam mais fáceis quando esclarecido de maneira correto.

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito.Cuido de minha mãe idosa e tirei várias conclusões desde ótimo artigo.

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito.Cuido de minha mãe idosa e tirei várias conclusões desde ótimo artigo.

    ResponderEliminar
  5. Muito bom o artigo! Cuido da minha mãe de 83 anos e as dicas do artigo serão úteis, principalmente para a minha sanidade mental.

    ResponderEliminar
  6. Cuido da minha Mãe há vinte e dois anos. Estou casada há 10 anos e tenho uma Filha de 9 anos. Agradeço muito ao companherismo do meu marido e minha Filha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz é tua mãe por ter uma filha tão dedicada. Deus te abençoará, por isto. Agradeça a Deus , todos os dias e ELE te dará muita energia pra cumprir tua tarefa com amor e aliviará tua caminhada.Abraço

      Eliminar
  7. Cuido da minha Mãe há vinte e dois anos. Estou casada há 10 anos e tenho uma Filha de 9 anos. Agradeço muito ao companherismo do meu marido e minha Filha.

    ResponderEliminar
  8. Visitem nossa página no Facebook, onde abordamos vários assuntos relacionados a esse tema!
    https://www.facebook.com/CuidadorAfetivo/

    ResponderEliminar
  9. Eh fundamental sempre ter em mente que o que mata nossos velhos,pais ou avós eh o abandono a ausência nossa nesta fase em que se preparam para a última viagem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade. Estou vivenciando esta situação com a minha mãe. O abandono é muito triste! O idoso precisa de atenção e carinho, sentir-se amado.

      Eliminar
  10. Muito bom esse artigo,esse tema realmente é muito delicado,precisamos sempre de esclarecimentos que possam nos ajudar a passar por essa fase difícil,eu também cuido da minha mãe e é assim,exatamente assim que acontece.Parabéns pelo artigo.

    ResponderEliminar
  11. Beatriz Dreher Bridi11 de agosto de 2016 às 17:41

    EM RESUMO, PRECISAMOS, COM OS IDOSOS, TER-LHES AMOR, CARINHO, SOLIDARIEDADE, POIS TUDO QUE ELES FORAM CONTINUAM ALI DENTRO DELES. Em algum dia, toda a lembrança volta e reconhecem tudo ao redor, inclusive pessoal Meu pai, dois meses antes de morrer lembrou da pessoa que, fala sobre suas posses (do pai) de costas para ele, sentiu a energia do idoso e voltou-se, para ele dizendo_ Não adiante lhe contar nada, não Dr., o senhor sequer me reconhece. E virou-se de costas novamente. O idoso, então com 96 anos, retorquiu, ' sei sim, você é fulano, casado com minha filha siclana'. POR ISSO, MUITo CUIDADO COM ATITUDES NA FRENTE DO IDOSO QUER SIGNIFIQUE FALTA DE RESPEITO!. ABS a todos.

    ResponderEliminar
  12. TEXTOS DE GRANDE UTILIDADE QUE NUNCA DEVÍAMOS ESQUECER, POIS NOS ENSINA A LIDAR E COMPREENDER A IDADE DO PÕR DO SOL , QUE É A VELHICE COM TODOS OS SEUS PROBLEMAS .

    ResponderEliminar
  13. Eu sei o que é o passar por isso. Praticamente tive que abandonar minha cidade, meu ap., faço meu serviço na casa de meu pai por 20 dias do mês, porque minha superior graciosamente assim o permitiu, senão teria perdido também meu emprego. Noites mal dormidas, e dias também - por causa dos afazeres. às vezes dá um desespero de cansaço, de falta de independência - eu que vivia sozinha há 30 anos... -, de sustos diários, de não saber o que fazer quando ocorre algumas situações, de não saber até mesmo a quem recorrer em determinadas situações, aonde levar, quem pode socorrer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho tres irmãos e mais duas irmas adotivas. Mas na hora de retribuir o carinho e o amor, dedicação que minha mãe teve conosco; eu estava só com meu Deus. ELE me deu forças. Ele me aconselhou sobre todas as descisões que eu precisava tomar com ela.. Noites sem dormir.Cansaço físico. Tudo valeu a pena. Sempre com aelgria ,fé e muito ânimo. Nunca sento desespero. Procure em Deus a companhia pra carregar este fardo, pois é ELE quem vai te ajudar muito. POde ter certeza. Vou orar sempre por ti mesmo não sabeno teu nome, mas Deus saberá a quem socorrer. Abraço

      Eliminar
  14. Muito proveitoso esse artigo.
    Cuido sozinha da minha mãe que nos próximos dias completará 92 anos.
    Compreendi umas certas atitudes.
    Obrigada

    ResponderEliminar
  15. Gostei muito desses conselhos dos cuidados com os nossos idosos! Para cuidar bem, não nos podemos esquecer de nós cuidadores! Estou a cuidar da minha mãe, que tem 90 anos e há 8 anos que mudei radicalmente a minha vida e até me mudei para a aldeia! tenho conseguido, porque acima de tudo, tento por amor em tudo que faço, mas não foi fácil, descobrimos que a família, começa a fugir e ainda nos criam problemas. Obrigada e continuem assim

    ResponderEliminar
  16. Muito bom o artigo!
    Eu vivo essa realidade com meu amado pai. E um modo de tornar menos pesada a tarefa foi escrever. Criei a página 'Papai é assim e preciso te contar' no facebook.
    Confiram lá:
    https://www.facebook.com/papaieassim/?ref=aymt_homepage_panel

    ResponderEliminar
  17. Realmente são pontos que devemos meditar , aceitando a situação da vida que Deus nos deu e viver com alegria e contentamento diante da realidade da velhice .

    ResponderEliminar
  18. Artigo excelente! Embora a gente saiba de tudo pela própria experiência e vivência, mas é sempre boa a leitura e sentimos que não estamos sozinhos, não somos os únicos a passar por isso. Embora não encontre conforto, pois me sinto muito sacrificada, sem vida pessoal, sem participar da vida de meus filhos e meus netos por ter que cuidar sozinha de minha mãe hoje com 95 anos. Não tenho cuidadora porque a situação financeira não permite, então, por vezes, me sinto uma prisioneira; fico deprimida, com raiva, mas logo sinto remorsos pelos meus sentimentos....é tudo momentâneo. Também sei que é passageiro. Mas não tenho mais juventude e me sinto muito cansada.

    ResponderEliminar
  19. Faltou apenas dizer porque isso tudo me cansa, pois não quero que me achem uma filha má. A minha mãe além de autoritária, não gosta de ficar com ninguém, às vezes é agressiva, malcriada e não aceita palpites ou ajuda. Só faz o que quer e como quer. E diz muita coisa absurda, mas compreendo porque tem demência senil e toma medicação, mas mesmo assim não é quietinha, nem meiguinha, nem carinhosa....essa é a parte mais difícil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E por quantas vezes muitos de nós não fomos irrequietos, sem meiguices e carinhos em nossa adolescência (aborrescência)? Quantas vezes nós não fomos agressivos e malcriados com aqueles que nos criaram? Por quantas vezes não fomos autoritários? Não aceitando palpites ou ajuda e não gostando de ficar com ninguém ou, então, apenas na companhia de nossos "amigos" -que eram quem realmente entendiam as nossas angústias-. Só fazíamos o que queríamos e como queríamos. E dizíamos muitas coisas absurdas, mas eles, ainda assim, nos compreendiam pois sabiam que tínhamos demência juvenil e a única medicação era a paciência e autoridade de quem cria, ....essa foi a parte mais difícil para eles.

      Eliminar
    2. marcioelder, você disse tudo, pois se eles nos aguentaram quando jovens, temos que aceitar suas irritações agora.

      Eliminar
    3. Quem são esses pais tão bonzinhos??? Só existem na imaginação de quem escreveu , pq lá em casa a compreensão era zero ... Castigos , xingamentos , humilhações... A velhice não regime ninguém de erros passados... É preciso analisar os dois lados..

      Eliminar
    4. sou idosa e concordo com você Anna. A velhice não melhora o caráter, só o apura! você teve só a parte ruim? Porém teve uma casa e não morreu de fome, nem sem cuidados. limite-se a devolver isso. Ninguém pode te obrigar a dar um amor que não recebeu. Existem organizações sociais que se encarregarão deles por uma razoável quantia...

      Eliminar
    5. É verdade! "Pau que nasce torto, morre mais torto ainda!" Minha avó torturou a minha mãe e minha tia a vida inteira! Colocou as duas em um colégio interno com 2 e 3 anos respectivamente. Morreu com 93 anos, cheia de saúde, porque apenas cismou de não tomar o remédio da pressão. O único que tinha que tomar! Teve um AVC! Morreu! Mas até então, "matou" meu avô, sacaneou meu pai, chamava minha mãe de vaca, difamava a minha tia no bairro como se ela fosse prostituta! Quem não conhecia acreditava na velhinha de cabeça branca! Tão bonitinha! É que hoje tem O POLITICAMENTE CORRETO! Não se pode falar de idoso, não se pode falar que criança irrita, que animal incomoda ou de gordo ou de branca azeda!Hoje a hipocrisia impera! Fala-se uma coisa e sente-se outra, completamente diferente!! Pois se falar, vai preso, leva processo! Disse falar! Não disse AGREDIR, OFENDER, TAMPOUCO MALTRATAR!
      MAS, depois eu falo mais! Pois agora tenho que parar tudo para cuidar da minha mãe! Beijosssss

      Eliminar
  20. É mas muitas vezes na nossa infância ou juventude nos momentos de mal criação éramos punidos com castigos e até mesmo com C hineladas varadas, tapas...e tínhamos que ficar quietinhos isto tudo por respeito...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo com o que foi dito acima , as vezes não tiveram um pingo de paciência , tínhamos que ficar quietinhos

      Eliminar
  21. como idosa, acho que deveriam enfocar, como o idoso se sente ao ser encarado como umfardo que se é obrigado a carregar, sendo que já os carregamos, educamos e custeamos por tanto tempo, não por obrigação, e sim por amos...todo esse blá blá blá poderia ser resumido assim: de de volta o que recebeu por tanto tempo...teve babá? pague baá, teve amo , carinho e atenção? é isso que tem de devolver! simples assim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *um fardo.... *amor *babá...esqueci de revisar antes de publicar, desculpem

      Eliminar
  22. Alguem pode explicar melhor a forma 10:Proteja Os Seus Pontos Fracos Emocionais;Não entendi.

    ResponderEliminar
  23. Bem... Pelo trabalho que dá e pelo transtorno que causa na vida dos filhos,eu decidi que na hora certa, quando eu não puder mais me manter sozinha, irei para uma casa de idosos que tenha o meu quarto separado e tudo o mais que eu precisarei! Trabalhei para isso! Em países como Alemanha, Inglaterra, EUA, Suécia etc... isso é a coisa mais normal do mundo!Aqui é que se tem a visão:ÓÓÓ abandonou a mãe(o pai) no asilo!!!! É vida que segue!

    ResponderEliminar
  24. Queria ter lido esse artigo há 3 anos atrás quando meu pai ainda estava comigo. Ajudei a cuidá-lo por 7 meses e foi emocional e fisicamente muito desgastante pra mim. Infelizmente ele partiu, muitas coisas quis fazer diferente mas fiz o melhor que pude fazer. Quem ainda tem pai, cuide do seu.

    ResponderEliminar

REVISTA REVIVER. Com tecnologia do Blogger.